Faça Parte Da Lista VIP Junto Com 20.820 Profissionais

Receba um eBook com Protocolos de Terapêutica Medicamentosa

O que causa a Abfração?

Provavelmente você aprendeu tudo errado sobre abfração.

A abfração é uma perda de estrutura dental não cariosa (BRAEM, 1992; GRIPPO, 1991; LEE & EAKLE, 1984). A palavra Abfração significa ab (distância) e factio (quebra), o que define a perda patológica de tecido duro em decorrência de forças biomecânicas, que causam uma flexão dentária e consequente fadiga do esmalte e dentina, em um local distante do ponto da carga oclusal (GRIPPO, 1991). Essas lesões apresentam-se na forma de cunha nas regiões cervicais dos dentes e aventam a hipótese de que o fator etiológico primário para tais lesões seja a sobrecarga oclusal. Pode comprometer dentes subsequentes de um hemiarco ou um único elemento dentário, com bom suporte periodontal. Sabe-se que o fator mais significante no tratamento dessas lesões é a remoção da sobrecarga oclusal, antes do procedimento restaurador. Caso haja também uma recessão gengival associada à abfração, o recobrimento radicular é uma opção terapêutica indicada principalmente nas recessões gengivais classe I e II de Miller.

A teoria proposta por Lee & Eakle em 1984, sugere como possível etiologia forças laterais (carga biomecânica), que podem criar tensão elástica de flexão e deformação da estrutura dental, desarranjando os cristais de hidroxiapatita do esmalte e permitindo que pequenas moléculas, como as de água, penetrem e tornem esses cristais mais susceptíveis ao ataque químico, e posterior deterioração mecânica.

 O esmalte embora duro, é também quebradiço frágil e pode tolerar somente uma pequena quantidade de deformação (deformação elástica) antes de fraturar (deformação plástica). A capacidade do esmalte em suportar tensões de tração nos prismas de esmalte parece ser muito pequena.


Se gostou, tem dúvidas, críticas ou sugestões, deixe o seu comentário abaixo!

Não deixe de se inscrever no nosso blog e canal do YouTube. Em breve várias outras aulas e material para você aperfeiçoar sua prática clínica.

Sorria! Sucesso!

Forte abraço!

Welington


Welington
Welington

Dentista. Professor. Militar. Coach. Empreendedor. Entusiasta da internet como ferramenta para contribuir positivamente com a sua missão.

    19 respostas a "Abfração É Causada Por Trauma De Escovação?"

    • Luane

      Muito interessante,gostei muito!

      • Welington

        Olá Luane! Muito obrigado pelo sua participação e mensagem! Fico muito feliz em contribuir. Desejo que 2016 seja o melhor ano de todos! Forte abraço, WPJ.

    • Key Fabiano

      Parabens!!, video aula excelente

      • Welington

        Olá Key! Muito obrigado pela participação e pelo elogio. Isso é uma grande fonte de motivação! Desejo que este seja o seu melhor ano de todos! Forte abraço, WPJ.

      • João Vitor

        Muito obrigada pela publicação e , muito explicativa , prótese em dissilicato pode causar abfraçao

        • Welington

          Olá João Vitor. Muito obrigado pelo interesse e mensagem. Sim, contatos excêntricos podem causar a fratura do esmalte na região cervical dos dentes (abfração), mesmo que os dentes antagonistas sejam próteses. Abraço, Welington

    • Ana Maria Melo

      O verdadeiro Mestre não é aquele que esta preocupado só em ensinar bem e com sua realização profissional, mas que se realiza com crescimento dos seus discípulos adquiridos através da aprendizagem e dos conhecimentos ministrados por ele .Parabéns Dr. Welington o senhor é realmente O MESTRE!
      Quero continua sendo sua discípula !
      Obrigado pela Excelencia

      • Welington

        Olá Ana Maria! Muito obrigado pela confiança em meu trabalho e pela carinhosa mensagem. Mensagens como a sua me motivam profundamente e me fazem querer aprender cada vez mais, para ensinar cada vez melhor. Fiquei muito feliz com a energia boa que você me transmitiu e por saber que estou contribuindo com seus propósitos de alguma forma. Vamos fazer de 2016 o melhor ano de todos! Forte abraço, WPJ.

    • PRISCILA

      Eu amo seus posts sou acadêmica e as vezes a linguagem que você utiliza para min é de fácil entendimento adorei reler sobre classificação de miller.

      • Welington

        Olá Priscila! Mensagens como a sua são o principal combustível para continuar querendo aprender para ensinar. Muito obrigado pela participação e pela mensagem. Desejo muito sucesso na profissão e que 2016 seja o melhor ano de todos! Conte comigo nesta caminhada… Forte abraço, WPJ.

    • Luana Alves de Andrade Rodrigues

      Muito interessante e explicativo. Gostei da matéria. serei uma seguidora.
      estou cursando odonto e me ajudou muito.

      • Welington

        Olá Luana! Muito obrigado pelo interesse e participação. Fico muito feliz em poder contribuir de alguma maneira, e sua mensagem me alegra e motiva. Vamos fazer de 2016 o melhor ano de todos! Forte abraço, WPJ.

    • Juliane Del Duque

      Obrigada pela sua determinação em aprender e sua paciência e amor em nos ensinar!!
      Apesar do implante (rsrsrs) amo a Endodontia!!!!!
      Juliane Del Duque

      • Welington

        Oi Juliane! Muito obrigado pela mensagem carinhosa! Fico muito feliz em poder contribuir com sua prática clínica de alguma maneira. A endodontia e a implantodontia não são concorrentes, são complementares! Também faço e gosto da implantodontia e sem dúvida é a melhor opção quando possível para reabilitar dentes ausentes. Agora, endodontia é o primeiro amor, e isso a gente nunca esquece… rsrs Forte abraço, Welington.

    • Marcelo Machado Andrade

      Gostei muito da matéria sobre abfração, foi muito elucidativo.Professor apos cobrir a abfração com ionômero de vidro é necessário fazer o desgaste onde incide força na cúspide ? Pode haver reincindência? Obrigado e grande abraço.

      • Welington

        Olá Marcelo! Muito obrigado pelo interesse e participação. Quanto a sua pergunta, a resposta é sim! Após a restauração e/ou recobrimento radicular quando necessário, é fundamental que se faça um ajuste oclusal criterioso. Ressalto que o ajuste oclusal pode ser feito por desgaste ou acréscimo, e não somente em um dente ou grupo de dentes. O ajuste oclusal deve envolver toda a arcada dentária, o que pode inclusive acarretar na necessidade de uma reabilitação oral mais extensa, o que torna difícil às vezes a aceitação por parte do paciente, seja por questões financeiras ou pela própria complexidade dos procedimentos. Forte abraço, WPJ.

    • Christine Backes

      Olá Welington !
      Gostei muito do vídeo e estou procurando o artigo de SOARES, CJ 2003 e não encontro! Tens como me passar o titulo do trabalho? Gostaria de ler!
      Abraço!

    • Renne Rozzato

      Muito boa a aula!! Parabéns!

      • Welington

        Olá Renne! Muito obrigado pelo interesse e pela mensagem! Fico feliz que tenha gostado. Espero contribuir positivamente para sua prática clínica. Forte abraço, WPJ.

Deixe um Comentário

Seu email não será publicado.