Planejamento Em Odontologia: Por Onde Começar O Tratamento?

Quando um paciente nos procura para resolver algum problema pontual, geralmente não há dificuldade para elaborar o planejamento em odontologia. Entretanto, em alguns casos de pacientes com a saúde bucal severamente comprometida, podemos nos deparar com situações clínicas de grande complexidade, tanto no que tange ao plano de tratamento como na execução dos procedimentos.

TOMADA DE DECISÃO BASEADA EM EVIDÊNCIAS

É importante lembrar que, a ordem exata de cada procedimento pode ser alterada conforme a tomada de decisão clínica baseada nos seguintes componentes que influenciarão o planejamento em odontologia:

  1. Evidência Científica
  2. Experiência e Julgamento do Profissional
  3. Circunstâncias Clínicas Individuais do Paciente
  4. Valores e Preferências do Paciente

TOMADA DE DECISÃO CLÍNICA

Como clínico penso que sempre devemos propor mais de uma alternativa de tratamento, sempre expondo os riscos e benefícios de cada opção para o paciente. Assim, indubitavelmente, destes quatro componentes mostrados na imagem acima, a palavra final sobre o que fazer será sempre do paciente, considerando obviamente apenas o que for cientificamente aceitável. Em outras palavras, em casos de prognóstico duvidoso, com baixa previsibilidade, o paciente deve ser municiado com o máximo de informações possíveis pelo clínico para que este tome a decisão compartilhada com o profissional.


PLANEJAMENTO EM ODONTOLOGIA

POR ONDE COMEÇAR O TRATAMENTO?

No infográfico abaixo, eu sugiro uma sequência de execução do tratamento. Entretanto, é muito importante frisar que o planejamento reverso é fundamental para o sucesso do tratamento, ou seja, iniciamos sempre com o fim em mente. Devemos definir o resultado esperado para executarmos os passos necessários e chegarmos ao objetivo traçado. Isso aliás vale para nossa carreira também… Devemos saber onde queremos chegar para decidirmos qual o melhor caminho a percorrer. Faz sentido para você?

Planejamento em Odontologia


Se gostou, tem dúvidas, críticas ou sugestões, deixe o seu comentário abaixo! A sua opinião é muito importante para mim.

Não deixe de se cadastrar no blog e assinar o canal do YouTube. Em breve várias outras aulas e material para você aperfeiçoar sua prática clínica.

Sorria! Sucesso!

Forte abraço!

Welington

6 Comentários


  1. Olá.
    No caso de paciente com doença periodontal severa, tendo extrações de raízes e varias lesões cariosas.
    O plano tratamento claro começaria com tto periodontal e adequação do meio bucal.
    A minha dúvida é, as extrações eu posso deixar por último no tto ou posso realizar as extrações entre uma sessão e outra?

    Att

    Responder

    1. Olá Marcela! Excelente pergunta. Só começo com cirurgia se houver algum quadro agudo, com dor intensa, por exemplo. Caso contrário, começaria fazendo no mínimo um preparo periodontal inicial, com diminuição da quantidade de placa/cálculo (tártaro), o que certamente favoreceria a situação para qualquer intervenção cirúrgica necessária. Faz sentido? Muito obrigado pelo interesse e participação. Forte abraço, Welington.

      Responder

    1. Olá Luiz! Muito obrigado pelo interesse e mensagem. Segue referência:
      Leles CR, Freira MCM. Odontologia baseada em evidências. In: Estrela C. Metodologia Científica. 2. ed. São Paulo: Artes Médicas, 2005. p. 475-88.
      Boa leitura. Att. Welington.

      Responder

    1. Olá Bruna. Para um planejamento correto é fundamental uma consulta inicial adequada, com exames complementares para um diagnóstico preciso. Somente depois disso é possível dizer tudo que você precisa fazer. Portanto, invista em você e consulte o seu cirurgião-dentista de confiança. Att. Welington.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *