Faça Parte Da Lista VIP Junto Com 20.820 Profissionais

Receba um eBook com Protocolos de Terapêutica Medicamentosa

Qual a melhor maneira de realizar a restauração de dentes tratados endodonticamente?

Apesar de existir uma vasta literatura científica sobre restauração de dentes tratados endodonticamente, ainda há muito debate e controvérsia sobre esse assunto. É impossível esgotar este assunto aqui neste post, mas levantarei as questões mais importantes ao restaurar um dente, sempre sob perspectiva do endodontista.


ANTES DO TRATAMENTO ENDODÔNTICO

O melhor planejamentRestauração de Dentes Tratados Endodonticamente 1o para o sucesso é começar com o fim em mente. Antes de iniciar o tratamento, o clínico deve examinar cuidadosamente o dente em busca de lesões por cárie e fraturas. O dente deve ser analisado quanto à possibilidade de restauração, função oclusal e saúde periodontal, e questões tais como a distância biológica e a relação ou proporção coroa-raiz também devem ser  avaliados. Se estes fatores estiverem satisfatórios, o dente pode ser incluído num plano de tratamento adequado.

Sempre que possível, os clínicos devem remover todas as restaurações existentes antes de iniciarem qualquer tratamento endodôntico. Isso permite uma análise da possibilidade de restauração e uma avaliação mais detalhada da presença de fraturas. Dentes com destruições extensas podem precisar de cirurgia para  aumento de coroa clínica ou extrusão ortodôntica antes do tratamento endodôntico.


O TRATAMENTO ENDODÔNTICO ESTÁ COMPLETO – E AGORA?Restauração de Dentes Tratados Endodonticamente 3

Um objetivo primário após o tratamento endodôntico deve ser a prevenção de contaminação do sistema de canais radiculares. Uma restauração imediata deve ser realizada sempre que possível. Adiar o tratamento restaurador para avaliar o sucesso do tratamento endodôntico geralmente não é a melhor opção para o paciente. Restaurações provisórias não previnem adequadamente a contaminação por longos períodos de tempo.

Restauração de Dentes Tratados Endodonticamente 4Quando a restauração imediata não for possível, barreiras devem ser colocadas para proteger o sistema de canais radiculares da contaminação por saliva. Materiais adesivos tais como a resina composta ou cimentos de ionômero de vidro são excelentes escolhas. Materiais provisórios tradicionais podem ser utilizados na cavidade de acesso. Entretanto, o clínico deve estar ciente de que uma restauração Restauração de Dentes Tratados Endodonticamente 6provisória não protege o dente contra fratura.

 Às vezes o tratamento endodôntico pode ser realizado através de uma coroa existente. Se a coroa parece clinicamente aceitável, a cavidade de acesso deve ser examinada quanto à presença de lesões de cárie. Substâncias evidenciadoras podem auxiliar nesta avaliação, assim como a magnificação. A ausência de cárie deve ser assegurada antes de restaurar a cavidade de acesso. Se houver cárie, a primeira escolha é remover a coroa e remover a cárie. Se isto não for praticável, remova a maior parte da cárie e restaure provisoriamente de maneira adequada. O cirurgião-dentista reabilitador deve então remover a coroa e a cárie remanescente assim que possível para minimizar as chances de contaminação do sistema de canais radiculares.

A temporização do esRestauração de Dentes Tratados Endodonticamentepaço do retentor intra-radicular representa um problema peculiar. Estudos recentes mostram que uma coroa com pino provisória não protege adequadamente contra a contaminação dos canais radiculares. Se não for possível realizar a instalação imediata de um retentor intra-radicular e núcleo de preenchimento, e uma coroa com pino provisória for necessária por razões estéticas, o ideal seria colocar alguma barreira sobre a guta-percha na base do espaço para pino. O espaço do canal deve ser mantido em um ambiente livre de bactérias. Nesse sentido, a saliva contém bactérias e não deve entrar em contato com o canal. Particularmente, considero que utilizar a saliva como lubrificante ao fabricar um retentor intra-radicular é um crime em desfavor do paciente, e o isolamento absoluto deve ser sempre utilizado durante a fase restauradora.


PRINCÍPIOS BÁSICOS NA RESTAURAÇÃO DE DENTES TRATADOS ENDODONTICAMENTE

  • Dentes posteriores submetidos a tratamento endodôntico devem receber restaurações com recobrimento de cúspides.  Achava-se que as restaurações adesivas evitariam a necessidade de recobrimento das cúspides, mas estudos recentes mostraram que estas restaurações reforçam os dentes apenas em curto prazo.
  • Dentes anteriores com perda mínima de estrutura dentária podem ser restaurados conservadoramente com restaurações adesivas.
  • A preservação de estrutura dentária coronária e radicular é desejável.
  • O propósito de um retentor intra-radicular é a retenção do núcleo de preenchimento.
  • Uma férula é altamente desejável quando um retentor intra-radicular for utilizado. Uma férula é considerada adequada com no mínimo 2 mm de altura vertical e 1 mm de espessura dentinária.

(AAE, 2004)


Se gostou, tem dúvidas, críticas ou sugestões, deixe o seu comentário abaixo!

Não deixe de se inscrever aqui no nosso blog e canal do YouTube. Em breve publicarei a segunda parte desta aula e várias outras, com um vasto material para você aperfeiçoar sua prática clínica.

Sorria! Sucesso!

Forte abraço!

Welington


Welington
Welington

Dentista. Professor. Militar. Coach. Empreendedor. Entusiasta da internet como ferramenta para contribuir positivamente com a sua missão.

    5 respostas a "Restauração De Dentes Tratados Endodonticamente"

    • tadeu raphael martorano

      Certos colegas,tem escrito artigos sobre pinos de fibra de fibra de vidro,como sendo a oitava maravilha do mundo.Concordo em parte.Quando temos,remanescentes dentários,concordo plenamente,seja em dentes anteriores e/ou posteriores.Quando existe uma quantidade ínfima de dente,o mais indicado é o nosso núcleo metálico.Em minha clínica diária,dentes tratados endodonticamente,sendo posterior,parto direto para coroa total.Em dentes anteriores,depende mais uma vez do remanescente.Sempre levando em consideração o uso dos pinos de fibra de vidro,junto com resinas foto polimerizáveis.Um grande abraço !

      • Welington

        Olá Tadeu! Muito obrigado pelo interesse e participação! Quanto às suas colocações, achei muito interessante a sua conduta. Hoje tenho utilizado muito as restaurações (principalmente onlays) de e.max (vidro-cerâmica de dissilicato de lítio). Confesso que instalo muitos pinos de fibra de vidro, mas concordo com o que disse quanto ao remanescente dental mínimo, e isso vai ao encontro da literatura científica, inclusive foi citado no post e no vídeo, ou seja, o ideal para indicar pinos de fibra de vidro é que se tenha uma férula com no mínimo 2 mm de altura e 1 mm de espessura dentinária. Fique atento às próximas aulas do blog, inclusive a próxima parte dessa aula. Forte abraço, WPJ.

    • Ivanete Medeiros Lopes

      o que fazer no serviço publico para garantir que não haja contaminação posterior e fique por longa data já que o paciente não tem condição financeira de arcar com restauração art glass
      .Já li sobre resina fluida de ortodontia -resina composta de antigamente tipo concise miradapt .no trabalho que li essas resinas são melhores que ionômeros no quesito resistência

      • Welington

        Olá Ivanete! Muito obrigado pelo interesse e pela mensagem. Em casos nos quais restaurações indiretas estão indicadas mas o paciente não tem condições de fazê-lo, sem dúvidas é melhor fazer uma restauração direta, com resina composta por exemplo, do que deixar um material provisório como o IRM ou similar. Nestes casos o prejuízo seria mais mecânico (risco de fratura) do que propriamente o risco de contaminação. Enfim, dentes posteriores tratados endodonticamente (principalmente em cavidades classe II) requerem uma boa proteção das entradas dos canais com um núcleo de preenchimento adequado (e se necessário, algum retentor intra-radicular) e posterior onlay ou coroa (proteção de cúspides). Ah, antes que me esqueça, eu concordo com você, a literatura científica realmente mostra que a resina composta é melhor do que o ionômero para núcleo de preenchimento ou restauração. Forte abraço, WPJ.

    • Marcus

      Olá! Qual a referência da citação usada (AAE, 2004)?

Deixe um Comentário

Seu email não será publicado.